Início Opinião Porque o Natal não é a maior festa dos cristãos?

Porque o Natal não é a maior festa dos cristãos?

126
0
COMPARTILHE

A festa do Natal marca o calendário cristão, no fim de cada ano, mas não foi sempre assim, sendo dada mais importância à Páscoa, como data litúrgica predominante.

O Natal impôs-se contudo mas tardiamente sobretudo no Ocidente, com a festa à volta do presépio ele próprio evoluindo para o lugar das prendas ao menino Jesus e mais tarde, como agora, uma grande festa comercial de troca de lembranças entre todos.

Para muitos o significado do Natal mantém-se o mesmo mas para uma crescente maioria é ocasião de “fecho de ano”, partilha de pendas e momento de bons desejos e esperanças para os dias que hão de vir. E, para um cristão, isso já não é mau, numa sociedade secularizada onde o fenómeno religioso não está mesmo na moda, sendo visto por muitos como algo que peretence à intimidade de cada um e por isso sem significado colectivo.

Natal aqui está

Festejar o aniversário de nascimento não fazia sentido nem parte da tradição dos judeus, sendo vista mesmo na antiguidade como uma prática de origem pagã.

Além disso, como celebrar o nascimento de Jesus se ninguém sabia (sabe) a data?

____________________________________________________

____________________________________________________

A festa da Páscoa contudo foi sempre celebrada depois do acontecimento de Jesus de Nazaré, o Cristo, sobre o qual (aconteciento) é fundada a fé cristã.

E foi sobretudo a igreja Ortodoxa que lhe deu dimensão e ânimo desde os primeiros anos da história (cristã).

No século IV o imperador romano Constantino decidiu fixar no dia 25 de dezembro a data de nascimento de Jesus. Daí que a celebraçãod desta data chegue progressivamente no Oriente e de seguida na Europa.

(Para quem não se lembra, recordar que o império romano chegava de Roma à actual Inglaterra!)

No fim do século V a festa do nascimento de Jesus já se celebrava na Irlanda, depois na Inglaterra, Alemanha, nos países escandinavos e, já nos séculos IX e X nos países eslavos.É

É a partir do XIV século que esta festa se impõe em todo “o mundo” ocidental como festa popular e familiar por tradição e por razões doutrinais.