COMPARTILHE

Esta decisão contradiz o compromisso declarado do bilionário com a liberdade de expressão. A página que rastreava o avião particular do bilionário, apreciado pela extrema direita, foi assim suspensa após dois anos e meio de existência.

O proprietário da página, Jack Sweeney, foi informado  de que não “respeitava as regras da plataforma”.

O novo proprietário do Twitter, no entanto, indicou que não o suspenderia. “O meu compromisso com a liberdade de expressão vai tão longe como não banir a conta que segue o meu avião, mesmo que represente um risco direto para a minha segurança pessoal”, escreveu a 7 de novembro depois de comprar a rede social por 44 mil milhões de euros.

O ElonJet, seguido por mais de 520.000 usuários, publicou 1.500 tweets detalhando as andanças aéreas de Elon Musk.

O objetivo principal é informar o público sobre o uso que o bilionário faz desse meio de transporte extremamente poluente.

Esse hábito irritante contradiz a bravata ecológica de Elon Musk, que afirma que os seus carros elétricos salvarão o planeta.

Isso não impediu que o Twitter suspendesse muitas contas semelhantes, algumas das quais também administradas por Jack Sweeney, como a BezosJet.

Recorde-se que Jack Sweeney reclamou de ser menos bem tratado pelo algoritmo do Twitter.

Ele havia publicado uma captura de tela de uma mensagem que teria sido enviada por um funcionário da empresa, alegando reduzir a visibilidade da conta na plataforma.

Depois de suspensa, a conta  da ElonJet foi restabelecida no final do dia e suspensa novamente.

A hipocrisia de Elon Musk, que afirma ter querido comprar o Twitter para liderar uma cruzada a favor da liberdade de expressão, tem sido amplamente destacada pelos internautas.

A conta de Jack Sweeney, no entanto, continua visível em outras plataformas, como Instagram, Telegram e Facebook.

Twiter: Elon Musk apaga conta que seguia o seu avião